Chapecoense, para muitos antes do dia 29/11 não significava nada. A vertente ascendente em que se encontrava era inegável, um campeonato internacional para um time que há pouco tempo estava na série D é realmente de se falar uau!. Impressiona a tamanha contrariedade dos eventos que se seguiram nesse trágico acidente, a busca pela gloria terminou na morte de 71 pessoas. A defesa milenar do falecido goleiro Danilo que levou tanta alegria foi responsável por encaminhar o time, jornalistas, tripulação a embarcar no avião da lamia. É um tanto quanto misterioso o humor do universo e esse fato nos leva a fazer perguntas simples como: porque?   “Parece tão injusto ” . E realmente não há explicação. Sim, havia pouco combustivo, o voo foi mal planejado, faltou fiscalização, eles poderiam ter pousado primeiro . Mas não acredito que isto tenha sido o motivo, um piloto experiente arriscar a própria vida e de mais 77 pessoas? Acho que não. Mas essa explicação, nós seres humanos não somos capazes de dar, por mais estudo que tenha, por mais investigações, isso é muito maior que todos nós. Desse triste acidente, só tiramos ensinamentos e lições, aprendemos á ser solidários, a chorar por pessoas que nunca vimos ou se quer conhecemos, a compartilhar a dor ou a tentar ajudar amenizar a dos outros. O Brasil, acostumado a fazer piadas de momentos trágicos, se calou, por respeito e por sentir, sentir como dói, como é triste pensar na perda de 71 famílias. O mundo parou. O mundo se solidarizou. Aprendemos que todos somos irmãos. A dor entristece mas ela serviu pra nos unir, independente da cor, raça, idioma, fronteiras, hoje somos só um, hoje somos verde e branco, somos torcedores de um só time, somos colombianos, brasileiros e bolivianos, não temos mais necessidades “explicacionais” pois somos chapecoenses, somos jornalistas, somos um só. Unidos pela dor através do amor.

Anúncios